De A a Z, tudo se pode fazer DE OUTRA MANEIRA...
 

Museu de História Natural de Maputo

É um edifício totalmente branco de cimento armado, no mais puro estilo Manuelino.

Está implantado na parte alta da cidade, mesmo junto ao Hotel Cardoso, com uma magnífica vista sobre a baía.  Contrasta fortemente com a arquitetura modernista dos anos 60 daquela zona da cidade.

Nós, que temos um fraquinho por tudo o que é museu de História Natural, tínhamos que o ir visitar mais uma vez, durante a nossa última estadia em Maputo .

O mais insólito neste museu, para além do estilo Manuelino “tardio”, talvez seja a crueza com que os aspetos mais violentos da vida animal são fielmente retratados.

A história do edifício também é algo bizarra.  Foi construído em 1911 com ideia inicial de ser uma escola primária.  Era uma estrutura de dois andares com duas alas em V e um pátio de recreios no meio.  Após a construção, a escola nunca chegou a funcionar.  Em 1932, o já existente Museu de História Natural foi lá instalado.  Nos anos sessenta a magnífica intervenção modernista do arquiteto João José Tinoco fez com que se ganhasse aquele que é o espaço mais nobre do museu atual, iluminado por um lindíssimo skylight.  É logo ali, perto da entrada, que podemos ver um grupo de leões a atacar um búfalo, sendo alguns esventrados pelos cornos do animal…Tarantino não faria melhor.

Manuel Rosário
Fevereiro, 2023

Galeria de Imagens

Fotos de Minnie Freudenthal e Manuel Rosário

Partilhar
Escrito por

Médico Gastroenterologista, nasceu em Lisboa em 1951. Fez o curso de Medicina na Faculdade de Medicina de Lourenço Marques e Faculdade de Medicina de Lisboa. Fez a especialidade no Harlem Hospital em Nova Iorque. Vive em Lisboa desde 1986.

COMENTAR

Últimos comentários
  • Avatar

    Conheço bem esse interessante Museu.

    Muito bonita reportagem !

  • Avatar

    Wow, Incrivel!!

  • Avatar

    Gosto imenso das fotos, e da informação, preciosa para leigos como eu.

  • Avatar

    Olá Manuel. um pequeno reparo. O Museu Provincial de Moçambique foi constituído no casarão que Wilhelm Pott vendeu junto ao Jardim Vasco da Gama cerca de 1911. Ali ficou alojado durante duas décadas e sem os cenários da taxidermia. Foi transferido para o Museu Álvaro de Castro (nome de um relativamente obscuro governador geral durante a I República, um radical republicono maçõnico que durou pouco) em 1935. Este edifício, o tal que fora feito para ser uma escola primária em estilo manuelino mas que virou museu, foi edificado apenas no início dos anos 30. No seu lugar, ali perto, foi um pouco mais tarde edificada a Escola Primária Rebelo da Silva, que frequentei.. Um abraço, ABM