De A a Z, tudo se pode fazer DE OUTRA MANEIRA...

Ouve-se ao longe

o canto de guerra

das Valquírias

avançam a cavalo

no calor da refrega

o canto mete medo

afasta os inimigos

e elas vão recolhendo

os corpos

dos seus heróis caídos.

Serão honrados

como Wotan ordena

em grandes barcos ardendo

vão rumo ao paraíso

onde os deuses esperam

que cheguem mais feridos

terão mortalhas de ouro

e a espada e o anel

que um Wotan poderoso

arrancara aos gigantes

que lutavam por ele

a troco de um castelo.

Mas o que vale um anel

que não devolve a vida?

Wotan, o viandante

agora chora

vitórias e derrotas

nas batalhas perdidas.

 

Yvette K. Centeno
Novembro, 2022

Foto de Manuel Rosário

Partilhar
Escrito por

Nasceu em Lisboa, é casada, tem quatro filhos. Cresceu numa casa onde havia livros. Leu sempre, leu muito, de todas as maneiras. Doutorou-se em Literatura Alemã, mas interessou-se sempre por História das Ideias, História de Arte e Literatura Comparada. É Professora Catedrática da Universidade Nova de Lisboa, onde criou os primeiros cursos de Tradução Literária. Tem obra de ficção, poesia, teatro e ensaio publicada em várias línguas. Quanto à música, as preferências andam pelo jazz, Mozart e Wagner… Foi recentemente distinguida com a Medalha de Honra do Autor Cooperante pela Sociedade Portuguesa de Autores (SPA).

COMENTAR

Últimos Comentários
  • Avatar

    Muito bonito, querida Yvette