De A a Z, tudo se pode fazer DE OUTRA MANEIRA...
HomeSociedade

Sociedade

Com o seu cabelo loiro arranjado, pequenas pérolas nas orelhas, sempre com roupa de cores claras a condizer, a Adriana era uma moradora atípica da Alfama. Nasceu na Estrela, frequentou um colégio de freiras de meninas finas.

(Vendo a novela da TVI) Estas gajas são umas velhas e pensam que são novas! Coirões! Haviam de ver como eu era jeitosa ainda há coisa de oito anos! Com cinquenta aninhos, estava boa como o milho. Até

Só posso mudar uma coisa? Então, faço uma revolução! Sabem o que é uma mente em estado mindful? É um estado de abertura, curiosidade, aceitação (e não resignação) e bondade. Ajuda-nos a aproximar dos problemas e não a

Vai espreitar por cima do muro, ali onde a buganvília e o jacarandá mancham o céu de cores tropicais. Se lá fores de manhã, vais ver dois velhos com o mundo na mão, esfarrapado, escaldado, quase moribundo.

Num interior esvaziado, Portugal tem vilas e aldeias que todos os anos perdem parte da sua população. Quem para trás fica sente o vazio e leva aos ombros o presente e o futuro incerto destes lugares

Tenho uma vaga ideia que era às quintas-feiras que chegava. Ou não teria dia certo? Seria só uma vez por mês? É difícil navegar na neblina do tempo, mas na minha memória está ainda bem vivo

Selecção dos artigos mais interessantes da semana, tendo com base a pesquisa feita pelo António Câmara e a Explora community.

Onde é que eu já ouvi isto? Uma mensagem tão pessoal que, ao mesmo tempo, é um lugar tão comum! Esta frase não informa, alerta; é mais uma sinalização que uma narrativa. Sarrabiscada com letras incertas,

O 'cohousing' nasceu nos anos sessenta, na Dinamarca, como resposta à insatisfação que indivíduos e comunidades sentiam em relação ao que a sociedade lhes oferecia como condições de vida comunitária. Deste movimento nasceu Saettedammen, o projeto

Podemos olhar para a doença como se estivéssemos “encalhados” num mal-estar do corpo, da mente, das emoções, do pensamento ou das nossas relações com as várias dimensões da vida. Há anos que me deparo no consultório com

Era uma vez um homem que vivia do comércio. O homem tinha uma loja de brinquedos num Centro Comercial em Lisboa. No mês de Natal vestia o seu melhor fato de tom escuro, envergava uma camisa

Um grupo de um grupo de estudantes de doutoramento de antropologia do ISCTE/IUL, em torno à inspiração de Filipe M. Reis, estão a produzir uma série de podcasts sobre temas de interesse geral. Recentemente emitiram um

Entre filmes antigos que revejo e os novos que vou descobrindo, tropecei recentemente em dois que resvalam para a debilidade mental e com uns toques de pretensa irreverência que os tornam penosos de seguir. Mas eu

Quando me falam em ética, lembro-me sempre do slogan usado por Clinton, na campanha para Presidente dos EUA, “It’s the economy, stupid!”, e apetece-me dizer, “É a ética estúpido!”. Porquê? Porque começa a perceber-se que foi

“Doutor, a doente está a ter um ataque” disse-me a enfermeira apontando para o monitor de video. Movimentos bastante atípicos, pensei eu, enquanto nos dirigíamos rápidos para o quarto da doente. Quando lá chegámos o “ataque”

Era uma vez um homem jovem que tinha como característica ser invulgarmente belo. Quando tentou entrar num país de pessoas muito feias, porque fora convocado a produzir umas acrobacias, derivado à sua prática circense, viu-se subitamente

Where does it take us? STEP BY STEP … SOMEWHERE, allow your balanced steps to take you there Does it start here or there? IT MAY HAVE STARTED YEARS AGO…can´t you see when? Is there a leader? THERE IS ALLWAYS A

Sentado nas escadinhas da Sé como de costume, lá está o popular “Rúben dos telemóveis”, como toda a Rua das Canastras o intitula (sem eu nunca ter percebido porquê). Normalmente cantarola uns fados, e diz quem

Talvez um dia. ao auscultar o ventre das mães antes de parirem, quantos não dirão, é melhor não nascer! Desde o início dos fenómenos biológicos na Terra, a preservação da vida foi sempre um propósito básico

Há quatro séculos e tal os índios da América do Norte contactaram pela primeira vez com europeus. O que aconteceu desde então dava para encher dezenas de livros. A luta contínua e desigual, o desenlace previsível.