De A a Z, tudo se pode fazer DE OUTRA MANEIRA...
HomeSociedade

Sociedade

Escrevo a 19 de Agosto de 2017. Este ano, considerando a proporção dos seus territórios, os fogos destruiram em Portugal vinte vezes mais floresta e mato do que em Espanha. Como esta ameaça às nossas vidas e aos

There is no place in Macau dearer to me than Largo do Lilau (“square of granny’s well” in Chinese), for the sole reason that I grew up there. It was where I used to play and

A Humanidade exprime-se no seu habitat. Usa-o, modifica-o, imprime-lhe a pegada. A Ciência e a Tecnologia captaram-lhe essa interacção em determinado espaço e tempo. O resultado é este pequeno livro. Uma Geografia que conta histórias. Melhor: através deste estudo

O telemóvel do futuro será um robô, um computador, um agregador de tráfego de rede pessoal de sensores, uma chave electrónica, um cartão de crédito, um leitor de rótulos no supermercado, uma estação multimédia interactiva, uma

Estou a ver-me com a minha Mãe, ela com o livro da conjugação dos verbos em francês, de capa preta, e eu lá ia recitando todo aquele rol na véspera do ponto enquanto ela ia assentando

Para mim, outono é sinal de calma e tranquilidade. Já esquecemos os calores excessivos do verão que nos excitam e nos deixam exaustos e ainda não chegaram as agruras do inverno cujo frio e sobretudo a

Em nome de quê? Como se o tempo os tivesse a todos engolido em pó, de Guerra. Estes encontros, estas caras, do horror não falavam. Não desejavam, nem criaram o medo que desconheciam. Ao olhar, aperta-se-me o peito mesmo a meio da incompreensão de Políticas devastadoras. O

A cena repetia-se todos os anos, durante as férias que há mais de uma década passávamos na República Dominicana. Sempre no mês de Fevereiro, para fugir ao frio de Portugal. Não que as temperaturas fossem excessivamente

Apercebi-me que a frase “deixar de trabalhar sem sentimentos de culpa”, do texto do Pedro sobre os elefantes reformados, ficou a pulsar nos meus ouvidos. Do nada, a minha atenção embrulhava-se com a ideia da reforma.

É importante baixarmo-nos; com o olhar ao nível do chão, cheirar a terra, caminhar pelos trajetos das formigas, tomar consciência da minúcia íntima das suas decisões quando caminham por um carreiro que nós destruímos paranoicamente. Ou

Já aqui há uns anos, uma doente entrou no meu consultório e disparou: “A Sra. Dra. opera com pontos ou sem pontos? É que eu já vi na Internet que agora as operações mais modernas aos

Sempre que em qualquer congresso médico, mesmo nos confins do mundo, os meus colegas se atarefam para encontrar um restaurante adequado para festejar a nossa chegada, a minha resposta é invariavelmente a mesma: “não posso ir

A palavra “escritório” sempre exerceu sobre mim uma espécie de magia. As longas horas da minha infância passadas no escritório do meu pai contribuíram certamente para isso. Na altura, trabalhava-se ao sábado e o meu

Todos nós pensamos na reforma, o dia que há-de chegar em que nós podemos deixar de trabalhar sem sentimentos de culpa. A maioria dos animais de trabalho não tem essa opção. Trabalham até morrer. Hoje em dia

Tsipras sai? Varoufakis saiu. E a dívida fica! Para quem? Para o futuro dos Gregos claro! E só há crédito se houver confiança nesse futuro que coitado já leva um pedregulho nos pés. Sentada na praia a

Death Cafés were started a decade ago by Bernard Crettaz, a Swiss sociologist, after the death of his first .They are informal gatherings in public places like a restaurant or a café, where people can talk

Acabei de ler o livro Se Isto É um Homem de Primo Levi, italiano judeu sobrevivente de Auschwitz. Sobrevivente talvez seja uma palavra ingrata. Aquando da sua misteriosa morte em 1987, envolta em rumores de suicídio,

Se nós, médicos, gastarmos o tempo suficiente a conversar com os nossos doentes, apercebemo-nos que os seus sintomas estão muitas vezes relacionados com o seu estilo de vida e ambiente social.Quando saí da Faculdade de Medicina,

Chegamos a este mundo com alguns programas de funcionamento impressos no nosso DNA. Dizem que logo à partida diferimos na curiosidade, no grau de introversão ou extroversão, na reacção ao perigo e tendência para se ser consciente. Como